Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

Avião da FAB colide com animal na decolagem e faz pouso de emergência no Galeão

 

Dom 25/6/2017 - Um avião C-97 Brasília (Embraer 120) matrícula Fab 2002 da Força Aérea Brasileira (FAB) precisou fazer um pouso forçado na Base Aérea do Galeão, Zona Norte do Rio, depois de ter o trem de pouso danificado ao colidir contra um animal. Ninguém ficou ferido.

Segundo a Força Aérea Brasileira, a aeronave operada pelo Terceiro Esquadrão de Transporte Aéreo (3° ETA) da FAB, colidiu com um animal ao decolar da Base Aérea de Santa Cruz, na zona Oeste do Rio, por volta das 18h40, deste sábado (24), danificando a perna esquerda do trem de pouso principal. Nenhum dos ocupantes ficou ferido.

Como procedimento de segurança, a aeronave precisou continuar no ar por quase 3 horas para gastar o combustível. O pouso foi direcionado para o Galeão, onde o plano de emergência de aeródromo foi acionado para prestar a assistência necessária.

O pouso ocorreu às 21h21. Segundo a FAB, o trem de pouso recolheu parcialmente e a aeronave parou sobre a grama. A FAB destacou que os ocupantes não sofreram ferimentos. A tripulação estava em missão de treinamento sem passageiros a bordo.

Ainda segundo a FAB, a pista 15, na qual o pouso ocorreu, foi vistoriada, mas não houve impactos ao tráfego aéreo. A pista 10 do aeroporto operou normalmente para pousos e decolagens.

Detalhes

Um ouvinte que trabalha com segurança de voo e pediu para ter a identidade preservada revela que a colisão aconteceu com uma capivara. Ele afirma que seriam três tripulantes a bordo, sendo um instrutor, um piloto e um mecânico de voo:

"Ele colidiu com o trem de pouso esquerdo com uma capivara gigante vindo a quebrar o trem de pouso. Isso fez com que ele voltasse pra voo e ficasse voando em volta da Base Áerea de Santa Cruz para, até então, ver qual foi o dano. Logo em seguida decolou uma aeronave F-5 que constatou o problema no trem de pouso".

Após a constatação, o Corpo de Bombeiros foi acionado e se dirigiu para a Base Aérea do Galeão, onde o plano de emergência de aeródromo foi acionado para prestar a assistência necessária. A tripulação, que estava em treinamento de Toque e Arremetida, sem passageiros a bordo, realizou o procedimento de segurança para gastar o combustível remanescente por aproximadamente três horas.

O capitão da reserva da FAB José Luiz Magalhães explica que a realização da atividade acontece tanto à luz do dia como à noite e tem como objetivo preparar o piloto para os momentos de decolagem e pouso:

"As tripulações fazem manobras de pousos e decolagens repetidas. Ele faz a decolagem, faz o circuito de pouso da região e realiza manobras de pouso. Aí ele corre na pista, decola de novo e vai fazendo às vezes cinco, às vezes dez pousos e decolagens pra fins de instrução".

Após o pouso realizado às 21h21, já com o avião controlado, o trem de pouso recolheu parcialmente e a aeronave parou sobre a grama. A pista 15, na qual o pouso ocorreu, foi vistoriada e não causou impactos ao tráfego aéreo, uma vez que a pista 10 do aeroporto continuou operando normalmente para pousos e decolagens.



Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário