Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

Bell apresenta sua visão do helicóptero do futuro


O futuro pode reservar espaço para aviões supersônicos ou que decolam na vertical, além de aeronaves não tripuladas e carros voadores, mas é melhor separar um espacinho para o helicóptero. Na visão da Bell, a maior fabricante de aeronaves de asas rotativas do mundo, o helicóptero será um veículo não apenas mais eficiente como bem mais seguro do que hoje. É o que sugere o FCX-001, um projeto visionário que a empresa revelou na abertura da Heli Expo 2017, uma das maiores feiras do setor, realizada nesta semana em Dallas, no Texas.

O FCX-001 antevê várias tecnologias estudadas pela Bell e promete transformar a realidade do segmento de forma profunda. Confira a seguir o que mudará nos helicópteros, segundo a fabricante americana:

Rotor da cauda deixará de existir

Considerado um dos pontos mais frágeis nos helicópteros, o rotor de cauda, necessário para prover o efeito anti-torque (que impede que o aparelho gire sem controle em seu eixo) deixará de existir. Em seu lugar, a Bell imagina uma lança de cauda com exaustores. É verdade que a rival MD Helicopter já fez algo parecido com o NOTAR, mas no caso do FCX-001 ele fica numa posição mais recuada e contribuirá também para a redução do ruído, outro aspecto ruim dos helicópteros.

Motores a combustão e elétrico

Sim, o futuro do helicóptero é híbrido, assim como ocorre hoje nos automóveis e outros veículos. A Bell não dá detalhes, mas diz que seus modelos terão “motores térmicos avançados para a propulsão principal”. O motor elétrico ficará com controle anti-torque a fim de simplificar a operação e manutenção.

Helicóptero ‘verde’

A Bell foi ‘poética’ ao descrever a fuselagem do FCX-001, mas revela que ela usará materiais sustentáveis e permitirá diversas configurações. O que chama a atenção é a promessa de gerar e gerenciar energia para o sistema como um todo. Será que teremos painéis solares em volta desse helicóptero?


Trem de pouso revolucionário

Mais um item misterioso: a empresa diz que a geometria do trem de pouso será ‘não tradicional’ e que por isso poderá ter um funcionamento mais eficiente. As imagens mostram um conjunto com rodas e pneus bastante simples, mas fica difícil entender onde ele pode ser revolucionário.
Pás dos rotores ‘mórficas’

É como a Bell resolver chamar as pás de rotores de geometria variável. Como mostra a foto, elas têm as pontos móveis e podem mudar sua posição conforme o regime de voo. Com isso, aumenta-se a eficiência operacional do modelo.


Co-piloto virtual

No FCX-001, bastará apenas um piloto no comando. Tudo porque os helicópteros do futuro contarão com um ambiente de realidade virtual que facilitará o trabalho dele. Mais do que isso, um sistema de inteligência artificial o ajudará nas tarefas mais complexas, se é que elas existirão nessa época.
Cabine de passageiros modular

Também os ocupantes se beneficiarão desse helicóptero avançado. A cabine, modular, contará com ambientes personalizados com direito a sistema de entretenimento, vídeo conferência, compartilhar documentos numa reunião ou apenas relaxar e assistir um filme ou ouvir música.

A Bell só não diz quando essa aeronave que beira a perfeição virará realidade, mas há de se levar em conta que, embora sejam ideias reluzentes, nenhuma parece impossível de se concretizar. Segundo Mitch Snyder, CEO da empresa, “quando for o momento certo vamos compartilhar mais. Enquanto isso, estamos trabalhando de portas fechadas”. O futuro promete.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário