Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

IPO da Azul tem demanda mais alta que oferta, diz fonte


A Azul, terceira maior empresa aérea brasileira, tem visto a demanda superar a oferta em sua proposta de oferta pública inicial de ações, segundo uma pessoa com conhecimento direto do assunto.

O IPO pode alcançar R$ 1,51 bilhão (US$ 485 milhões) com base no preço médio da faixa de preço estabelecida para as ações, de R$ 19 a R$ 23, segundo o prospecto da oferta e as 72 milhões de ações preferenciais que a companhia e os acionistas pretendem vender.

O preço das ações deve ser definido em 6 de abril, segundo outra pessoa com conhecimento do assunto que pediu anonimato porque as discussões não são públicas.

A operadora recorre ao mercado no momento em que o país começa a se recuperar de sua pior recessão na história e em que os economistas projetam crescimento de 0,7 por cento do produto interno bruto neste ano e de 2,2 por cento em 2018, segundo estimativas compiladas pela Bloomberg.

Os investidores apostam que a empresa aérea conseguirá tirar vantagem desse cenário.

A ação da Gol Linhas Aéreas Inteligentes, por exemplo, acumula alta de 81 por cento neste ano até 31 de março. A Latam Airlines tem alta de 48 por cento no mesmo período.

A Azul foi fundada pelo magnata do setor aéreo David Neeleman em 2008. Anteriormente, Neeleman havia ajudado a criar a Morris Air, a canadense WestJet Airlines e a JetBlue Airways.

O Banco Itaú BBA é o coordenador líder da oferta. Citigroup, Deutsche Bank, BB Investimentos, Bradesco BBI, Santander, JPMorgan e Banco Safra também participam.

A Azul vende ações após adiar o processo pelo menos três vezes nos últimos anos devido à volatilidade do mercado de ações do Brasil.

A empresa preferiu não comentar o assunto.


Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário