Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

Iron Bird, estrutura da Airbus para testar componentes antes de instalá-los nos aviões


Muito antes de um avião decolar, é necessário analisar o correto funcionamento dos seus componentes. Sistemas elétricos, hidráulicos e de voo são meticulosamente confirmados com a ajuda de um equipamento de teste gigante apelidado pela Airbus de “Iron Bird”.

O “Iron Bird”, ou “Pássaro de Ferro”, é uma estrutura onde os principais componentes de trabalho são instalados em localizações relativas as encontradas na estrutura real da aeronave.

A estrutura feita em andaimes com a forma do esqueleto de um avião, pesa aproximadamente 170 toneladas. Nela, os sistemas são instalados de modo que facilmente sejam inspecionados.

Nos anos que antecedem o primeiro voo de um novo avião, todas alterações feitas durante a fase de desenvolvimento são testadas e validadas utilizando esta preciosa ferramenta.

Componentes de aeronaves são avaliados de modo isolados e estes podem reagir de maneira diferente quando operado em conjunto com outros sistemas, uma situação que o “Pássaro de Ferro” com os sistemas de testes integrados pode identificar facilmente um problema.
airbus, iron bird, passaro de ferro, sistemas, componentes, avião, jato, teste, fabricante
(Airbus)

Com os principais sistemas operacionais (exceto os motores), o testes da aeronave montada no “Iron Bird” é colocado em andamento. A partir de uma sala de controle adjacente, em um mini cockpit, um piloto de teste “voa” o “Pássaro de Ferro” através de um simulador, onde os sistemas são postos em condições ambientais variadas, enquanto engenheiros acumulam dados do voo.

Curiosamente, o trabalho do “Iron Bird” não termina quando a aeronave é certificada e posta em serviço comercial. O “Iron Bird” do A350 XWB e A380, por exemplo, ainda continuam em operação nas instalações da sede da Airbus em Toulouse, na França. Segundo a Airbus, tal estrutura pode ser usada para fornecer insights sobre questões específicas que vão surgindo no decorrer do programa. A estrutura ainda pode ser utilizada para realizar atualizações dos sistemas antes que sejam introduzidos em aeronaves em serviço.

Mesmo na era das simulações computadorizadas avançadas, o “Iron Bird” mantém um papel vital nos protocolos de testes, afirma a Airbus. Eles podem nunca voar, mas cada “Iron Bird”, é precursor de uma aeronave Airbus.


Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário