Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

Alitalia concorda com acordo de financiamento de curto prazo para manter a companhia aérea


A italiana Alitalia aprovou um acordo de financiamento de curto prazo e um novo plano que incluirá cortes de empregos, afirmou na quinta-feira, à medida que a transportadora intensifica os esforços para sustentar seus negócios.

A Alitalia e seus credores, incluindo os dois maiores bancos italianos UniCredit (CRDI.MI) e Intesa Sanpaolo (ISP.MI), estão em negociações há semanas sobre o futuro da operadora.


"Estamos reformulando as operações em um mercado que enfrenta a crescente pressão de companhias aéreas de baixo custo, mais concorrência de trens de alta velocidade e menor número de passageiros devido a ataques terroristas".


Num comunicado divulgado na quinta-feira, a Alitalia disse que o financiamento a curto prazo foi acordado para permitir que a sua equipe de gestão inicie negociações nos próximos 60 dias com as principais partes interessadas.


"Os próximos dois meses serão cruciais para a Alitalia", disse o presidente-executivo da Cramer Ball, acrescentando que "sem um pacote de financiamento subseqüente e significativo dos acionistas, a Alitalia não terá futuro".


Fontes já disseram que várias opções de financiamento estavam sendo discutidas, incluindo novas linhas de crédito, uma chamada de caixa e uma conversão de títulos em instrumentos financeiros semiaqüíveis sem direito a voto.


A conversão permitiria ao accionista controlador Etihad Airways investir mais sem violar o limite de propriedade exigido pelo estatuto europeu da Alitalia.


A Etihad, com sede em Abu Dhabi, investiu 560 milhões de euros na Alitalia em 2014, como parte de um acordo de resgate de 1,76 bilhões de euros, e prometeu retribuir o lucro até 2017 reduzindo custos, transformando Roma em um centro intercontinental e adicionando conexões
long-haul mais lucrativos.

Mas dois anos mais tarde, a Alitalia está perdendo pelo menos meio milhão de euros por dia e pode permanecer não rentável por mais dois ou três anos, disseram fontes.


Na sua declaração de quinta-feira, a Alitalia disse que precisava reformular seu modelo de negócios desenvolvendo sua rede de longa distância, reformulando seus negócios de curto e médio porte, reduzindo custos e empregos e concordando com acordos comerciais e parcerias.


A Etihad, maior acionista da Alitalia com 49 por cento de participação, está agora empurrando para transformar o negócio. As propostas incluem corte de até 2.000 postos de trabalho e algumas rotas não rentáveis ​​e aterramento de pelo menos 20 aviões, disseram fontes.


Mas há ceticismo se a renovação proposta será suficiente. A Alitalia também está fortemente sindicalizada e provavelmente haverá uma reação significativa aos cortes propostos.


O governo italiano tem vindo frequentemente salvar a Alitalia nos últimos anos, mas Roma está actualmente a lidar com uma crise bancária e tem espaço de manobra muito limitado por causa das regras da UE.


Com Abu Dhabi não querendo dar mais dinheiro à Alitalia, a Etihad pode optar por emprestar à operadora parte do dinheiro que arrecadou em uma recente emissão de US $ 1,5 bilhão em sukuk, disse outra fonte.



Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário