Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

Airbus prepara entrega de primeiro C295 SAR para a FAB


A Airbus Defence and Space, braço de aeronaves militares e de serviços aeroespaciais da multinacional francesa, se prepara para entregar à Força Aérea Brasileira (FAB), em junho, o primeiro dos dois aviões C295, de transporte tático militar, encomendados pelo governo brasileiro. O modelo é voltado a missões de busca e salvamento.

Empresa com faturamento anual da ordem de € 11,8 bilhões, a Airbus Defence and Space viu sua carteira de encomendas no Brasil encolher depois que a FAB decidiu cancelar a compra da terceira aeronave, do mesmo modelo, prevista no contrato original, de 2014 - a empresa não divulga valores do acordo.

Chefe da companhia para América Latina, Christophe Roux conta ao Valor, no entanto, que a empresa mantém sua estratégia de longo prazo no país. O executivo afirma que é difícil projetar quando o governo brasileiro voltará a contratar, porque as encomendas do setor de defesa e segurança são irregulares, mas destacou que as expectativas de recuperação da economia nacional sinalizam para a melhoria da capacidade de investimentos da Defesa.

"Muitos dos projetos no Brasil estão suspensos, mas para o futuro vemos um crescimento no país, talvez não em 2017, porque é um ano de transição, mas para 2018 e 2019...", disse Roux, em entrevista exclusiva ao Valor, durante a feira internacional de defesa e segurança Laad, que terminou ontem no Rio de Janeiro.

A Airbus Defence & Space responde por cerca de 18% das receitas globais do grupo, que no ano passado totalizaram € 67 bilhões. A divisão de tecnologia de defesa e espaço da companhia europeia tem uma carteira de encomendas de € 41,4 bilhões espalhada pelo mundo.

A companhia atua em quatro segmentos: aeronaves militares; sistemas espaciais; tecnologias de comunicação, inteligência e segurança; e sistemas aéreos não tripulados. De acordo com Roux, o setor de aeronaves militares, que concentra as encomendas do C295 pela FAB, é o principal mercado da empresa no Brasil. A francesa também vê com otimismo o potencial de crescimento dos negócios de serviços espaciais.

"No Brasil, vemos importantes oportunidades na área de serviços espaciais, voltada para o setor de telecomunicações. O Brasil é muito importante para nós. É o topo da lista dos mercados mais importantes da América Latina. Não somos uma companhia interessada só numa abordagem de curto prazo no país", comentou o executivo.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário