Welter Mesquita Vaz. Tecnologia do Blogger.

Irã reserva aerovia para desviar voos do Qatar e voo do Brasil terá escala na Grécia


Qua 7/6/2017 - Sob acusação de ligação com o terrorismo, em especial com os grupos Estado Islâmico e Al Qaeda, a Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iêmen e Líbia cortaram relações diplomáticas com o Catar e afetaram as operações da principal companhia aérea do país, a gigante Qatar Airways.

Os sete países acusam Doha de desestabilizar a região e apoiar as políticas do Irã, assim como grupos terroristas diversos. As autoridades sauditas afirmaram que a decisão foi tomada para proteger a segurança dos países da região e dos perigos do extremismo. Em comunicado, o governo saudita afirma que “o Catar acolhe diversos grupos terroristas para desestabilizar a região, como a irmandade muçulmana, o estado islâmico".

Com isso, o Qatar teve suas ligações aéreas e marítimas cortadas. De todas as aerovias que atendem Doha, apenas duas continuam liberadas pois não passam sobre nenhum dos sete países que iniciaram o veto.

Com o espaço aéreo limitado e com grande parte de sua malha aérea afetada pela decisão, a Qatar Airways mantém apenas voos intercontinentais. Todos os demais voos regionais foram cancelados. Da mesma forma, a Emirates Airline, Etihad Airways, FlyDubai e Saudia cancelaram todos seus voos com destino a Doha.

Em comunicado, a Etihad Airways indicou que a medida vai entrar em vigor na terça-feira (6/6) "até nova ordem”. Até o momento, as empresas da região não emitiram novos comunicados informando por quanto tempo deverão manter as medidas.

O Egito anunciou o fechamento das fronteiras aéreas e marítimas com o Catar que, de acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros egípcio, adota um comportamento hostil em relação ao Cairo.

Irã reserva aerovia para desviar os voos do Qatar

O controle de tráfego aéreo do Irã entregou hoje aerovias específicas para desviar voos com aeronaves que têm matrícula do Qatar, incluindo a Qatar Airways, após uma decisão de fechar os céus para aeronaves do Qatar, realizada pelo Egito, Arábia Saudita, Bahrein e os Emirados Árabes Unidos.


A ordem do Irã foi para organizar o tráfego aéreo na região do país, bem como evitar incidentes no ar, controladores de tráfego estão acompanhando atentamente a grande movimentação de aeronaves que tomou o espaço aéreo iraniano, visto que os voos rumo ao oeste não conseguem operar sem realizar o desvio dos países citados.

Os desvios são feitos em direção à região do Mar Mediterrâneo, com saída e entrada na Turquia, para os voos que seguem para o oeste, e saída pelo Irã para voos que seguem ao leste.

Enquanto isso a Qatar anunciou que não está mais operando voos para o Bahrein, Arábia Saudita, Egito e UAE, bem como as companhias desses países também não estão voando para o Qatar.

O voo da Qatar para o GRUAirport (Guarulhos) desta terça-feira foi realizado com escala técnica em Atenas para reabastecimento, e a aeronave passou especificamente por essa aerovia de Doha para Atenas, na Grécia. Veja mais na imagem acima.

A Qatar Airways recomendou que quaisquer dúvidas deverão ser tiradas com a equipe de atendimento ao cliente da companhia. Informações estão sendo divulgadas em tempo real no site e nas redes sociais da companhia para informar aos passageiros novidades da frota.

Voo do Brasil terá escala na Grécia

O voo Qatar 773 parte diariamente de Doha para Buenos Aires com escala em São Paulo, a sua rota tradicional é cruzar a Árabia Saudita e o continente africano rumando o Atlântico Sul. Agora com a proibição de sobrevoo da Árabia Saudita e seus vizinhos sobre aviões nacionais do Catar, o voo está fazendo um grande desvio pelo Mar Mediterrâneo, o que adicionou 4 horas a mais na duração do voo e obrigou a companhia a fazer uma escala técnica em Atenas, na Grécia.

O novo horário estimado de chegada em São Paulo mudou de 16h45 para as 21h00.

Já o voo de retorno para Doha, o Qatar 774, no dia de hoje não foi necessário reabastecimento provavelmente devido a um dia com menor ocupação e ventos favoráveis na rota. Ainda sim o desvio de quase 3 horas pelo Mediterrâneo foi necessário. Agora o voo 774 chega em Doha às 04h00 ao invés de 01h10.

IATA

Hoje a Associação Internacional do Transporte Aéreo, a IATA, pediu que os países que fecharam seu espaço aéreo para o Catar cancelasse a ação para não prejudicar mais passageiros. Ainda assim a situação continua a mesma, e alguns sites apontam que continuará assim por algumas semanas pelo menos ou até meses.

Acordo com a Fifa

A Qatar Airways assinou em maio um acordo de patrocínio com a Fifa válido até 2022, ano que se realiza o mundial de futebol no Catar. Com isso, a empresa aérea se tornou a patrocinadora oficial de todos eventos promovidos pela Fifa nos próximos cinco anos, como a Taça das Confederações de 2017, do Mundial da Rússia em 2018, da Taça Mundial de Clubes, do Mundial feminino em 2018 e do Mundial do Catar, em 2022.

Imediatamente após o anuncio das sanções contra Doha, o clube de futebol saudita Al Ahly anunciou que cancelou unilateralmente o contrato de patrocínio com a Qatar Airways. Em sua conta no twitter, o time de Jeddah, "anuncia a quebra do contrato com a Qatar Airways". A empresa ainda possui diversos contratos de patrocinio com clubes europeus, que podem adotar medidas similares.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Alexandre Marques

Notícias, radar e escuta ao vivo, matérias e cobertura de eventos aeronáuticos.
    Comentar - Blogger
    Comentar - Facebook

0 comentários:

Postar um comentário